O último suspiro

Ao iniciares a leitura deste texto vai reparando lentamente no teu respirar. Aprecia a magia que vai acontecendo em cada suspiro teu. Não, não será a introdução de um exercício de meditação, mas sim a verdadeira perceção da tua existência e abre-te à minha escrita deixando que as palavras tomem parte desse teu dom misterioso.
Tomaste consciência dessa tua finitude? Deste valor a cada suspiro teu, único e irrepetível?
Antes do teu último suspiro deves respirar muito mais. Ainda tens muita vida para deixar que seja inalada pela tua própria existência. Ainda tens tantos e tantas para deixar que escrevam nas páginas do teu livro e assim continuares a dar tão bom nome à tua unicidade e fragilidade. Existe ainda muito para ser entranhado nessa tua respiração que dá testemunho dessa tua finitude, que não te deve conduzir a um desespero, mas sim a uma libertação plena que só se adquire quando nos damos conta do verdadeiro valor e dignidade que existe em cada um de nós.
Antes do teu último suspiro deves respirar muito mais. Tens a obrigação de o ter muito presente para que te relembre sempre da beleza que vai acontecendo sem te aperceberes. Deves partir, sem medo, nem receios, atrás de novas inspirações que te alarguem o respirar e que por consequência te alarguem pelos caminhos de uma vida que espera e anseia pela tua esperança. Deves respirar melhor para que cada suspiro teu ande de esperanças. Para que cada suspiro teu seja verdadeiro sopro de vida.
Deves abrir-te por completo para que, em cada respiração tua, aconteça a sinfonia de uma vida serena e cheia de sentido que se alimenta em rostos preenchidos pela certeza de que os trilhos, deste tão grande mistério, não se fazem de pernas para o ar, mas sim de braços e de coração estendidos no alto.
Antes de dares o próximo respiro sustenta-o em ti e pensa que esse seria o último suspiro do teu dia ou da tua própria vida e apercebe-te do ritmo que vai desenhando toda a tua existência: um ritmo desenhado pelos altos picos da alegria da tua existência e pelos baixos picos que te relembram que, mesmo nas adversidades, a tua história será sempre desenhada para uma vivência dedicada à felicidade!
Antes do teu último suspiro deixa-te inundar pelo único oxigénio capaz de dar sentido aos pulmões da vida: a confirmação de que, em todo e em qualquer momento, vales sempre muito mais do que alguma vez podes imaginar.
Antes do teu último suspiro toma consciência da riqueza que acontece em ti e não te deixes ficar sem fôlego!

[Texto da autoria de ©Emanuel António Dias]

eli-defaria-100532-unsplash

[Fotografia da autoria de ©Eli DeFaria]

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s