Livres ou iludidos?

“Querer ser livre é também querer livres os outros.”
Simone de Beauvoir

Temos a felicidade de celebrar o 25 de Abril como o dia da Liberdade.
Recordamos nesta data aquela que foi a libertação de um povo.
Uma libertação política e ideológica. Uma libertação de uma opressão ofegante que menosprezava tudo e todos. Neste dia está bem patente a possibilidade que cada um de nós tem de agir com o seu livre arbítrio sem que isso ponha em causa a outra pessoa.
A minha geração teve a sorte de nascer livre.
Nasceu livre para viver. Nasceu livre para pensar. Nasceu livre para correr, saltar e brincar. Nasceu livre para caminhar. Nasceu livre para traçar o seu caminho.
Nasceu livre para aprender, falar e expor.
Nasceu livre e não sabe imaginar muito bem como é viver sem isso.
Mas seremos realmente livres? Teremos a certeza de que vivemos em liberdade, ou deixamo-nos escravizar por coisas fúteis?
A liberdade não se prende somente a uma forma de agir. É muito mais do que isso. É algo que nos caracteriza e que nos molda.
Quantas vezes não nos sentimos presos ao dinheiro?
Quantas vezes deixamos que nos acorrentem para atingirmos um mero estatuto?
Quantas vezes não nos deixamos ser reféns do ódio, da inveja e da ganância?
Quantas vezes não vivemos iludidos de que somos livres?
Não nos podemos dizer livres, se depois vivemos amarrados a alguma coisa que nos destrói e que nos impede de sermos mais humanos.
Não nos podemos dizer livres, se não entendermos que os nossos atos prejudicam aquele que se cruza connosco.
Não nos podemos dizer livres, se depois vivemos segundo o que os outros pensam e dizem.
Não nos podemos dizer livres, se nos deixamos condicionar por algo que não nos faz feliz.
A nossa felicidade depende desta liberdade.
A nossa felicidade depende desta capacidade de entendermos que a vida é muito mais do que aquilo que vemos.
Libertemo-nos de todas as amarras e depois sim…saberemos qual o verdadeiro caminho para se viver uma nova revolução.
Uma revolução de amor, de entrega e de respeito.
Uma revolução que libertará muito mais do que um povo.
Uma revolução que libertará cada um de nós e deixará o nosso inconsciente bem mais leve.

[Texto da autoria de ©Emanuel António Dias]

boy-1866511_1920

[Fotografia da autoria de ©Pexels]

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s