Devíamos morar num olhar

Devíamos morar num olhar. Não deveríamos querer outra coisa senão morar num encontro íntimo que nos preenchesse por completo. Este deveria ser o nosso propósito: vivermos num olhar que nos aceita, que nos chama a sermos mais e fazermos disso a nossa verdadeira casa. Devíamos morar num olhar. Num olhar que desvenda toda a nossa … Continuar a ler Devíamos morar num olhar

Haverá um dia

Haverá um dia. Chegará o momento em que as perguntas se tornarão nas nossas respostas. Não terá sido tudo resolvido, mas teremos passado por tudo. Deixando como solução às inquietações a nossa própria existência. Resolvendo-nos sem palavras. Resolvendo-nos na medida em que nos tornamos filhos de cada situação, de cada busca, de cada olhar. Haverá … Continuar a ler Haverá um dia

Não estamos assim tão perto

Não estamos assim tão perto. A distância que nos separa vai sendo cada vez maior. Alargada pelo egoísmo. Desbravada pela indiferença. Construída pelo medo de tudo e de todos. Dia após dia cimentamos um caminho que não nos leva a todas as vidas. Dia após dia calcetamos uma via que promove cada vez mais o … Continuar a ler Não estamos assim tão perto

A fugir de ser

Corro sem ninguém verNa ânsia de vir a descobrirAquilo que tenho vindo a ser. Não sei se tenho fugidoOu se tenho caminhado.Talvez só queira encontrarO que me tem desalinhado. Há por aí, Quem ainda se sinta inanimado? Há por aí, Quem ainda não se sinta realizado? Há por aí, Quem ainda não se sinta acolhido? … Continuar a ler A fugir de ser

Eles sabem lá

Eles sabem láO que visto por dentro.Nem sequer devem conseguir adivinharAs cores que me impedem de caminhar. Eles não sabemO que me tem sido traçadoO quanto tudo me tem deixadoDesfeito e despedaçado. Eles nunca saberãoO quanto os meus olhos escreveram,O quanto o meu corpo se contorceuPara ultrapassar tanta incompreensão. Eles sabem láQuantas vezes fui suplicarApenas … Continuar a ler Eles sabem lá

Quem me conta?

Não sei se vale a pena guardarPosso nem sequerVir a recordar. Corro o riscoDe tudo ficarPerdido no tempoPerdido de mim. E depois o que me define?Quem me conta?Quem me encontra? Já ninguém vive em mimDeixei-os fora da minha estradaLonge da minha vidaNão lhes consigo relembrar a minha morada. Talvez assim me despeçaSem ter que lhes … Continuar a ler Quem me conta?

Não sei se alguém me vê

Não sei se alguém me vêPor entre as correrias deste mundo.Não sei se alguém me vêE se apercebe de quando estou sem fundo. Não sei se alguém me vêLá fora, do outro lado de mimOnde me escondo, uma e outra vez,vezes sem fim. Não sei se alguém vêO quanto andamos perdidos.Não sei se alguém ainda … Continuar a ler Não sei se alguém me vê

Não nos sobra nada?

Não nos sobra nada. A não ser esta certeza de que caminhamos incertamente. Tudo aquilo a que nos propomos a ser e a conquistar ficará preso a um tempo. Não nos sobra nada. A não ser esta capacidade de nos eternizarmos no amor. De deixarmos que tudo em nós se prolongue fora do tempo. Sem … Continuar a ler Não nos sobra nada?

Há sempre uma saída

Há sempre uma saída. Um lugar melhor. Um lugar que nos faça (ser) melhor. Não temos, muitas das vezes, o olhar focado naquilo que pode ir para além de nós. Nem sempre acreditamos que os desvios nos podem fazer encontrar o caminho para o nosso lar. Há sempre uma saída. Desenhada pelos imensos riscos a … Continuar a ler Há sempre uma saída